“A educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda.

Paulo Freire

terça-feira, 28 de setembro de 2010

O lenhador e o cão

Texto e Interpretação

O lenhador e o cão

O lenhador e o seu cão saíram para a floresta em dia nublado, no qual o céu estava cinzento, as nuvens estavam escuras e pesadas.
Eles tinham um objetivo: derrubar árvores para comercializar.
Era um senhor ainda jovem mas as marcas do trabalho árduo fazia com que o mesmo tivesse uma pele já um tanto envelhecida, enrugada e cheia de pintas pretas.
O seu cão, coitado, era magro, maltratado, o pelo sujo e um odor terrível, mas mesmo assim, era fiel ao seu dono.
Quando passavam pela floresta, escutavam grandes gemidos ecoando por entre as árvores, vindos de um lugar que parecia mais no subsolo daquele local. Tentaram esconder o medo, mas os gemidos ficavam tão próximos que não conseguiam.
Assim que puderam, correram dali.
Já estavam em um lugar mais tranqüilo e fazendo mais derrubada de árvore uma árvore centenária que embelezava aquela floresta, cuja madeira era de excelente qualidade e proibida para a comercialização, quando, de repente, saiu de seu interior aquele uivo ensurdecedor já escutado anteriormente.
Ele tremeu completamente e o seu cão, de tanto medo, urinou-se. Como as pernas travaram, não tinham condições de correr, foi quando ouviram aquela voz rouca e trêmula, dizendo:
- O que vocês estão fazendo comigo?
Tremeram mais um pouco.
- Vocês não veem o mal que fazem à natureza? – continuou a voz – Por isso há tanto violência nos ventos, mares e chuvas. É o clamor da natureza.
A partir daquele momento, o homem começou a meditar em tudo que ele escutava.
Tudo era verdade. Estava sendo cruel com a mãe natureza.
- Tem razão – falou o homem arrependido –, a natureza está revoltada com nós, humanos por todas as maldades que fazemos com ela, infelizmente, contribuo para que isso aconteça.
- Se você tiver consciência do que está praticando, é tempo de consertar o que você estragou. Tudo o que temos e oferecemos à humanidade são benefícios enviados por Deus. Conserve-os.
- De hoje em diante, colherei apenas o que é para o meu sustento – falou o lenhador.
A partir daquele momento, ele resolveu fazer o reflorestamento das áreas que foram desmatadas e pôs mais beleza naquela floresta tão magnífica, onde os pássaros gorjeavam ainda mais cheios de vida.

Responda às questões:

1)     Retire os personagens do texto.


2)     O texto é narrado em 1ª ou 3ª pessoa? Retire elementos do texto que confirmem sua resposta.


3)     Informe o local da narrativa.


4)     No texto, há uma passagem que o narrador caracteriza o lenhador. Retire-a.


5)     Como o lenhador se sentiu e o que ele falou àquela árvore?


6)     Que atitude o lenhador tomou no final ?


7)     Se você fosse o narrador, como terminaria a história?

Nenhum comentário:

Postar um comentário